Terço da Providência

A história

Terço da Providência – Nossa Senhora da Divina Providência é um título atribuído a Virgem Maria e possui uma ligação com o fato, evidenciado na bíblia, da intercessão da Mãe de Deus durante as Bodas de Caná, onde a mesma pediu ajuda ao Nosso Senhor Jesus Cristo, intercedendo pelos noivos que passaram pela dificuldade de não ter vinho o suficiente para a festa de casamento.

Nosso Senhor, atendeu o pedido da sua Santíssima Mãe, e realizou o seu primeiro milagre, transformando a água em vinho, livrando o recém casal de passar por uma vergonha que poderia marcar as suas vidas.

Essa devoção começou timidamente a partir do século XII, quando Nossa Senhora da Divina Providência já era invocada na Itália a partir de pinturas e afrescos, sempre com um menino nos braços que muitos confundem com o Menino Jesus, mas não é, pois não se observa a auréola que envolvem a santidade no mesmo. Entretanto, essa devoção ganhou força no século XIV a partir da Ordem dos Padres Barnabitas, fundada por Santo Antonio Maria Zaccaria, no ano de 1530.

O fato que fez a devoção se consolidar foi uma reforma para ampliação da Praça Colonna, em Roma, que para ser concluída foi necessário realizar a demolição de um antigo mosteiro existente no local. Quando a demolição estava sendo realizada, um belo e magnífico afresco da Nossa Senhora da Divina Providência foi quebrado. A obra de arte estava em uma das paredes do mosteiro e sua destruição gerou tristeza para o arquiteto, os religiosos e a comunidade.

Para reparar seu erro e quitar-se com Deus, o arquiteto doou um outro quadro a comunidade religiosa; um quadro feito por Scipione Pulzone, onde Nossa Senhora estava segurando um menino em seus braços.

Tal atitude do arquiteto foi muito bem recebida pelos religiosos, que agradeceram a honradez do mesmo em reparar, de forma voluntária, tal incidente. Não obstante esse evento, os religiosos estavam preocupados com o andamento da obra, pois os recursos que dispunham para tal empreendimento eram escassos. Entretanto, apesar da escassez, o arquiteto foi capaz de concluir e entregar a obra dentro do prazo previsto, o que foi atribuído pelos monges como um milagre realizado pela intercessão de Nossa Senhora da Divina Providência, a quem eles rezavam, continuamente, durante o período em que a obra foi realizada. Para ele, Nossa Senhora “providenciou” tudo o que foi necessário para que a obra fosse entregue.

Somente no século XVIII, esse título de Nossa Senhora passo a ser reconhecido de forma oficial pela Santa Sé e, a partir daí, espalhou-se por todo o mundo. Nessa época, uma réplica do quadro de Nossa Senhora da Divina Providência foi colocada em um corredor mais acessível e visível para os fiéis. Não demorou muito para aquele corredor tornar-se pequeno diante da enorme quantidade de peregrinos que, todos os dias, iam ali rezar.

Observando a devoção crescente dos fiéis, os padres barnabitas decidiram ampliar o lugar e transformá-lo em uma capela maior e, a partir daí, criou-se um grupo de devotos, conhecidos como Arquiconfraria. Especificamente, no ano de 1888, ocorreu a coroação da imagem, tornando oficial a devoção à Nossa Senhora Mão da Providência.

Quando analisamos toda essa história, percebemos as bases que fundamentam a essa santa devoção. Quando analisamos linguisticamente o termo “divina providência”, compreendemos a ideia de que Deus nos dá tudo aquilo que necessitamos, tudo aquilo que precisamos. Somente Deus é capaz de nos dar o que é necessário para a nossa vida, o que é necessário para mantermos a nossa dignidade, integridade e humanidade.

Como Nossa Senhora tem o poder de interceder por nós perante o Pai, Filho e Espírito Santo que está no céu, assim como ela intercedeu perante os noivos nas Bodas de Caná para que não faltasse o vinho; intercedeu, também, perante os monges na reforma de ampliação da Praça Colonnara e construção da igreja de São Carlos, ela pode ser, também, nossa Rainha da Providência, de modo a interceder por nós no atendimento de todas as nossas necessidades materiais, nos ajudando a superar nossas dificuldades financeiras, nos colocando no caminho da prosperidade.

 

Para quê rezar o Terço da Providência?

Existem momentos em que o desespero bate e não sabemos como vamos colocar as contas em dia. Não sabemos se conseguiremos honrar nossos compromissos e não saberemos se seremos capazes de assistir aqueles que dependem de nós. Se está desesperado e não sabe como vai ser o dia de amanhã, se vai ter o suficiente para viver e para cuidar dos seus, o Terço da Providência é para você!

Seus projetos não prosperam financeiramente?

Está tendo dificuldades para honrar seus compromissos financeiros?

Está com medo de não ser capaz de manter sua família?

Está com dificuldade para conseguir trabalho e renda?

Então, o Terço da Providência é para você!

 

Roteiro do Terço da Providência

Terço da Providência

Figura – 1: Estrutura do Terço da Providência

 

Você verá os 27 passos que compõe a estrutura do Terço da Providência, com as orações a serem recitadas em cada etapa e, em alguns casos, explicações necessárias para sua realização.

 

1 – Sinal da Cruz

Pelo sinal da Santa Cruz, livrai-nos, Deus, Nosso Senhor, dos nossos inimigos.

Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém!

 

2 – Oração ao Divino Espírito Santo

Vinde, Espírito Santo, enchei os corações dos Vossos fiéis e acendei neles o fogo do Vosso amor. Enviai o Vosso Espírito e tudo será criado, E renovareis a face da terra.

Oremos: Deus, que instruístes os corações dos Vossos Fiéis com a luz do Espírito Santo, fazei que Apreciemos retamente todas as coisas segundo o Mesmo Espírito e gozemos sempre da Sua consolação. Por Cristo, Senhor nosso. Amém!

 

2.1 – Invocação dos Dons do Divino Espírito Santo

Após a oração ao Divino Espírito Santo, você pedirá ao mesmo que lhe conceda o dom necessário a lhe ajudar na manifestação da sua Intenção. A escolha do dom (ou dons) a ser solicitado ao Espírito Santo precisa ter uma base racional e coerência com a Intenção objeto de oração no Santo Rosário.

É preciso lembrar que nós já temos a graça de Deus em nossas vidas, porém nos afastamos desta através das nossas escolhas, então é possível que nossas ações diárias e nossas decisões façam com que trilhemos caminhos opostos a direção que o Pai deseja e, sendo assim, perdemos tal graça, não porque Deus não a nos concedeu, mas porque nos distanciamos demasiadamente para sermos incapazes de apanhá-la. “O Senhor está convosco assim como vós estais com ele. Se vós o procurais, ele se manifestará a vós, mas se vós o aban­do­nardes, ele vos abandonará.” (II Crônicas – 15: 2b).

Espírito Santo, concedei-me o Dom da Sabedoria, a fim de que cada vez mais aprecie as coisas divinas e, abrasado pelo fogo do Vosso amor, prefira com alegria as coisas do céu a tudo o que é mundano, e me una para sempre a Cristo, sofrendo neste mundo por seu amor.

Espírito Santo, concedei-me o Dom do Entendimento, para que, iluminado pela luz celeste da Vossa graça, entenda bem as sublimes verdades da salvação e da doutrina da santa religião.

Espírito Santo, concedei-me o Dom do Conselho, tão necessário nos melindrosos passos da vida, para que escolha sempre aquilo que mais seja do Vosso agrado, siga em tudo a Vossa divina graça e saiba socorrer o meu próximo com bons conselhos.

Espírito Santo, concedei-me o Dom da Fortaleza, para que eu fuja do pecado, pratique a virtude com santo fervor e afronte com paciência, e mesmo com alegria de espírito, o desprezo, o prejuízo, as perseguições e a própria morte, antes de renegar por palavras e obras a Cristo.

Espírito Santo, concedei-me o Dom da Ciência, para que conheça cada vez mais a minha própria miséria e fraqueza, a beleza da virtude e o valor inestimável da alma, e para que veja sempre claramente as ciladas do demônio, da carne, do mundo, a fim de as evitar.

Espírito Santo, concedei-me o Dom da Piedade, que tornará delicioso o meu trato e colóquio Convosco na oração e me fará amar a Deus com íntimo amor como a meu Pai, a Maria Santíssima e a todos os homens como meus irmãos, em Jesus Cristo.

Espírito Santo, concedei-me o Dom do Temor de Deus, para que eu me lembre sempre, com suma reverência e profundo respeito, a Vossa divina presença, trema como os próprios anjos diante da Vossa divina majestade e nada receie tanto como desagradar-Vos!

 

3 – Oferecimento do Terço

Divino Jesus, eu Vos ofereço este terço que vou rezar, rogando as bençãos de vossas mãos para que eu seja inspirado(a) pelo Espírito Santo a imitar seu magnífico exemplo de amor, de modo a desenvolver as virtudes necessárias para bem rezá-lo e tornar-me merecedor(a) da glória dos céus e da manifestação de milagres em minha vida.

 

4 – Faça sua Intenção

Jesus nos orientou a “orar sempre e não cessar de o fazer” (São Lucas, 18:1), seja essa oração direcionada para pedir forças diante das provações, conforme nos direciona o Salmo 55:23 “descarrega sobre o Senhor os teus cuidados, e ele te sustentará: não permitirá jamais que o justo vacile”, ou seja uma oração direcionada para alcançar uma graça específica, “pedi, e vos será dado; buscai, e achareis; batei, e abrir-se-vos-á. Porque todo o que pede, recebe o que busca, encontra, e a quem bate, abrir-se-á” (São Mateus, 7:8-9) ou mesmo para interceder por alguém, como fez Jó ao interceder por seus amigos e o Senhor atendeu ao seu pedido (Jó, 42:8-9). A oração é o método mais poderoso para nos conectarmos com o Pai, o Nosso Salvador, e fazer milagres se manifestarem em nossas vidas.

A Intenção é o modo pelo qual você manifesta seu pedido ao Pai. É a expressão daquilo que você deseja, do fundo do seu coração, e que é racionalmente direcionado para Deus. Vale lembrar que a sua Intenção é o objetivo que você deseja manifestar com a graça de Deus na sua vida ou na vida por quem você ora. As mesmas regras para estabelecer um objetivo são aplicáveis para estabelecer uma Intenção.

 

4.1 – Por Cristo, com Cristo, em Cristo

Após manifestar a Deus seus pedidos, através da Intenção, é preciso dizer “seja feita a vossa vontade”, de modo a preenchermos do Amor e presença de Cristo os nossos desejos. É preciso afirmar que todos os nossos pensamentos, palavras e ações são para honrar e glorificar o Nosso Senhor Jesus Cristo e o seu Santo Evangelho.

Essa oração é um poderoso instrumento para exercermos a humildade e não nos desviarmos para o mundo, pois ela nos auxilia a recordarmos que Deus se fez homem para tirar o pecado do mundo e nos conceder a vida eterna. Ela é rezada em toda a missa, no momento em que Jesus Cristo se faz presente através da eucaristia… no momento em que Cristo se sacrifica, mais uma vez, para nos livrar do pecado, através da sua carne e do seu sangue. Tal oração é um poderoso recurso que nos auxilia a colocar o propósito da nossa Intenção em agradar a Sabedoria Encarnada e evitar os perigos da soberba. É uma forma de determinar que sua vida é dedicada a edificar a obra divina na terra e ser um instrumento de Cristo e no mundo.

Por Cristo, com Cristo, em Cristo; A vós Deus Pai todo-poderoso; Na unidade do Espírito Santo; Toda honra e toda glória; Agora e para sempre; Amém.

 

5 – Credo Apostólico

Creio em Deus-Pai Todo Poderoso, criador do céu e da terra; e em Jesus Cristo, seu único Filho, Nosso Senhor, que foi concebido pelo poder do Espírito Santo; nasceu da Virgem Maria; Padeceu sob Pôncio Pilatos, foi crucificado, morto e sepultado; desceu à mansão dos mortos, ressuscitou ao terceiro dia, subiu aos céus; está sentado à direita de Deus Pai Todo Poderoso, de onde há de vir a julgar os vivos e os mortos; creio no Espírito Santo, na Santa Igreja Católica, na comunhão dos santos, na remissão dos pecados, na ressurreição da carne, na vida eterna. Amém.

 

6 – Pai Nosso

Pai Nosso que estais no Céu, santificado seja o Vosso nome; venha a nós o Vosso Reino; seja feita a Vossa Vontade, assim na Terra como no Céu.

O pão nosso de cada dia nos dai hoje.

Perdoai-nos as nossas ofensas assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido, e não nos deixeis cair em tentação, mas livrai-nos do mal. Amém.

 

7 – Ave Maria (3x)

Ave Maria, cheia de graça; o Senhor é convosco. Bendita sois vós entre as mulheres  e bendito é o fruto do vosso ventre, Jesus.

Santa Maria, Mãe de Deus, rogai por nós, pecadores, agora e na hora da nossa morte. Amém.

 

8 – Glória ao Pai

Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e para sempre. Amém.

 

PRIMEIRA DEZENA

9 – Jaculatória Contas Grandes

Mãe da Divina Providência, providenciai!

 

10 – Jaculatória Contas Pequenas (10x)

Deus provê, Deus proverá, Sua Misericórdia não faltará!

 

11 – Glória ao Pai

Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e para sempre. Amém.

 

SEGUNDA DEZENA

12 – Jaculatória Contas Grandes

Mãe da Divina Providência, providenciai!

 

13 – Jaculatória Contas Pequenas (10x)

Deus provê, Deus proverá, Sua Misericórdia não faltará!

 

14 – Glória ao Pai

Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e para sempre. Amém.

 

TERCEIRA DEZENA

15 – Jaculatória Contas Grandes

Mãe da Divina Providência, providenciai!

 

16 – Jaculatória Contas Pequenas (10x)

Deus provê, Deus proverá, Sua Misericórdia não faltará!

 

17 – Glória ao Pai

Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e para sempre. Amém.

 

QUARTA DEZENA

18 – Jaculatória Contas Grandes

Mãe da Divina Providência, providenciai!

 

19 – Jaculatória Contas Pequenas (10x)

Deus provê, Deus proverá, Sua Misericórdia não faltará!

 

20 – Glória ao Pai

Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e para sempre. Amém.

 

QUINTA DEZENA

21 – Jaculatória Contas Grandes

Mãe da Divina Providência, providenciai!

 

22 – Jaculatória Contas Pequenas (10x)

Deus provê, Deus proverá, Sua Misericórdia não faltará!

 

23 – Glória ao Pai

Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e para sempre. Amém.

 

24 – Salve Rainha

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas.

Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria!

Rogai por nós, Santa Mãe de Deus. Para que sejamos dignos das promessas de Cristo. Amém.

 

25 – Oração final

Colocando a mão direita sobre o peito.

Vinde Maria, chegou o momento. Valei-nos agora e em todo o tormento. Mãe da Providência, prestai-nos auxílio no sofrimento da terra e no exílio. Mostrai que sois Mãe de amor e de bondade, agora que é grande a necessidade. Amém!

 

26 – Jaculatória: Louvado seja o Nosso Senhor Jesus Cristo

Louvado seja o Nosso Senhor Jesus Cristo, para sempre seja louvado.

 

27 – Deus Vult

 

Conheça O Método dos Milagres e aprenda, de forma sistemática, como inserir a espiritualidade católica em sua vida e obter inúmeros milagres.

Aprenda mais sobre o Santo Rosário

Veja também o Santo Rosário – Mistérios Gozosos

Veja também o Santo Rosário – Mistérios Dolorosos

Veja também o Santo Rosário – Mistérios Gloriosos

Equipe UNILIVRE

Equipe UNILIVRE

Equipe UNILIVRE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *