A Verdadeira Estabilidade

Você pode ignorar a realidade, mas não pode ignorar as consequências de ignorar a realidade.

AYN RAND

 

Uma das verdades que aprendemos no universo empreendedor é que a estabilidade é uma ilusão criada por burocratas para seduzir pessoas e podar-lhes seus sonhos e suas potencialidades. Muitas pessoas sonham com a estabilidade, pois foram enganadas pelo discurso fácil e sedutor de que a mesma existe e quando são surpreendidas pela dinâmica da vida e dos mercados, percebem que perderam tempo ao não se conectar com a realidade e se adaptar para o mundo em que se vive. É nesse momento que o “choro e o ranger de dentes” é sentido na pele. Para ilustrar essa verdade, nada melhor que uma metáfora para nos ajudar a compreender a realidade. Bem vindo ao mundo real!

Para você ter uma ideia, a nossa vida pode ser comparada a uma grande corrida de carros. Essa corrida é obrigatória, quer você queira participar ou não, e seu carro estará no ponto de partida e deverá correr conforme as regras existentes. Antes de você se habilitar a correr, você precisa aprender a dirigir, passar em um teste e, se aprovado, conseguir a autorização para pilotar um veículo. Acontece que existe um prazo estipulado para você conseguir sua habilitação. Se você não tirar a mesma dentro desse prazo, terá que participar da corrida mesmo assim, assumindo as consequências por não possuir as credenciais e, principalmente, as competências necessárias.

Para entrar na corrida com grandes chances de vencer, você precisa se preparar com antecedência. Os prêmios são distribuídos de acordo com a ordem de chegada. Os primeiros recebem os maiores e melhores prêmios, assim como os últimos ficam com os piores. No fim, todos ganham, mesmo que o prêmio adquirido seja a experiência dos erros cometidos e o que deve ser feito para que na próxima corrida, sua colocação melhore, nem que seja, uma posição. Esse preparo pode ser dividido, resumidamente, em duas etapas.

A primeira etapa envolve uma revisão das funções principais do veículo, substituição de peças com defeito ou que encontram-se com possíveis falhas, bem como o abastecimento dos recursos necessários, como água, óleo, combustível e etc. O objetivo desse preparo é permitir que o funcionamento do veículo esteja em sua capacidade máxima. É nessa fase que se conhece os pontos fortes e fracos do veículo.

Já a segunda etapa envolve o conhecimento da pista onde será a corrida. O estudo do mapa para saber onde existem as partes mais difíceis da mesma, bem como as partes em que é possível obter certa vantagem em termos de aceleração e economia de pneu e combustível ou mesmo um atalho. Nessa fase é que se conhece as oportunidades e ameaças do ambiente. Estudando o lado interno, bem como o externo, você, piloto, estará em perfeitas condições de correr, concluir a corrida e, quem sabe, alcançar uma posição privilegiada entre os primeiros que finalizarem o percurso.

Acontece que a grande maioria das pessoas sequer tem a consciência da existência dessa corrida. Estão adormecidas e programadas para funcionar somente com o comando de alguém. Só se dão conta de que a corrida existe quando escutam o som do disparo que dá a largada e formaliza o início da jornada. Ainda existem outros pilotos que só se dão conta quando os que se prepararam para a corrida deram a primeira volta na pista, tornando-os retardatários e muitos outros nem acordam, acreditam que a pista de corrida é, na verdade, um estacionamento.

Entre todos os pilotos, existe uma parcela razoável que decide iniciar a corrida sem o devido preparo. Sabem onde será a corrida, conhecem bem o seu veículo, mas por excesso de confiança ou falta de prudência e conservadorismo não se preparam, preferindo confiar na sorte, acreditando que receberão uma ajuda divina caso precisem. Se dão conta do grande erro de possuir uma fé cega em si ou no acaso quando, no meio do percurso, o veículo para de funcionar por falta de combustível ou porque uma das rodas saiu rolando no meio da pista.

Isso acontece porque a grande maioria das pessoas vivem no chamado piloto automático, seguem suas vidas sem tomar decisões, vivem à mercê dos acontecimentos alheios ou são pilotados por outras pessoas. Estão presos no passado ou no futuro e esquecem de viver o lindo presente que se chama, presente. Quando acontecem situações que requerem uma decisão sobre onde ir, se direita ou esquerda, são conduzidas pelas decisões dos outros. Na maior parte do tempo, seguem o caminho que a maioria percorre… seguem a manada na ilusão de que ao perder a sua identidade no meio da multidão, estarão em segurança e protegidos, abandonando seus valores e sua essência por medo de seguir sozinho a própria consciência. Só percebem o grande equívoco que cometeram quando se deparam com um longo, cansativo e desgastante congestionamento em que se leva horas e horas para avançar apenas 200 metros, gastando grandes somas de combustível e desgastando fortemente as peças do veículo para conquistar tão pequeno desempenho. Nesse momento perdem o controle de si mesmos, por conta de serem conduzido pelo coletivo.

O resultado disso tudo é uma série de sentimentos negativos, frustrações, muita decepção e arrependimento. Somente quando o sofrimento de não conduzir a própria vida ficar tão grande, a ponto do veículo perder a capacidade de andar, paralisado com as peças danificadas, sem combustível ou sem saída devido a fila que se forma a sua frente, é que percebem que se faz necessário abandonar a manada e seguir o próprio caminho… o caminho do protagonismo individual. Para alguns, essa consciência chega já no fim da corrida, quando já é tarde demais.

Apenas uma minoria faz o dever de casa. Se prepara com antecedência, fazendo revisões e o devido abastecimento no veículo. Analisa o mapa da corrida e tudo que é necessário para aproveitar as oportunidades e evitar as ameaças do caminho. Essas pessoas lideram as corridas por muito tempo e assim permanecerão enquanto não se iludirem com o gosto do pódio, achando que o sucesso passado garantirá o sucesso futuro. Se iniciarem uma corrida com a arrogância da vitória, será como correr com os faróis voltados para traz, mas seguindo em direção para frente… certamente quando a noite chegar, encontrarão um poste na primeira esquina ou uma curva sinuosa que os tirará para fora da corrida.

A verdadeira estabilidade e o segredo para vencer e se manter na liderança é o eterno preparo e estudos com foco em gerar inovações, quando não as acompanhar, que permitam aumentar a velocidade, a estabilidade e a economia de recursos do veículo. Não existe segredo ou atalho, existe preparo e muita, mas muita aceleração! Essa é a principal regra, essa é a nossa realidade.

E você, tem consciência da existência dessa corrida? Está devidamente preparado? Estudou a pista da próxima corrida? O Momento é agora, depois, não se queixe se ficar em último lugar.

Gervazio Lopes

Gervazio Lopes

Escolheu Administração como profissão e Empreendedorismo como carreira. É um Caçador de Oportunidades, crossnetwork, empreendedor, palestrante, professor e voluntário. Se define como um conservador, católico, defensor da tradição e da liberdade e estimulador do protagonismo individual para fortalecimento das famílias, desenvolvimento de indivíduos e de sociedades.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *